Organizacao de Eventos em Sao Paulo
Aconteca Eventos e Festas
  Guia de Serviços
  Calendário de Eventos
  Cursos
  Check List de Eventos
  Artigos & Reportagens
  Revistas
  Links
 
  »  Guia de Serviços:
busca por palavra-chave

      respeitar acentuação
 


 
  CHECK LIST DE EVENTOS
 

CHECK - LIST
DE EVENTOS

Principais ítens para Organização de Eventos Corporativos e Sociais

Veja e Imprima

 
  ARTIGOS
  ARTIGO

60 REGRAS PARA VENDER EM FEIRAS

Confira algumas dicas especiais de como vender mais em Feiras e Exposições

Leia mais

 
  NEWSLETTER
 
Digite seu e-mail para receber as novidades do site:

eventos
(c)2016 - acontecaeventos.com.br
Todos os Direitos reservados.
Eventos em Sao Paulo
 
  Quarta, 16 de Agosto de 2017

Artigos

60 REGRAS PARA VENDER EM FEIRAS

Fonte: Sugestão da Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior, por intermédio de Michel A. Alaby, baseada em um artigo da revista MOCI - Moniteur du Commerce Internacional. 

PRELIMINARES

1 - Todos os revendedores e contatos da empresa devem ser convidados a uma visita ao stand.

2 - Em uma exposição internacional, a documentação em línguas estrangeiras é imprescindível. Ela deve abranger os aspectos técnicos e comerciais as empresa e de seus produtos.

LIÇÃO PARA O EXPOSITOR QUE ESTARÁ NO STAND

3 - Por que sua companhia expõe? Para vender imediatamente? Estabelecer contatos? Obter o nome e endereço de visitantes não encontrados habitualmente?

4 - Que oferece o stand? Quais os novos produtos? Qual seu principal atrativo? Qual a documentação proposta? Quem é técnico? Quem é o responsável?

5 - Qual a arrumação do stand? Onde telefonar? Como acomodar alguém para uma troca de idéias mais profunda? Onde estão os refrigerantes?

6 - Qual a apresenta do hall da exposição? Onde ficam os bancos? As escadas? Os elevadores? O Ponto de Socorro? Os balcões de informações básicas e legais? Os achados e perdidos? Os toilettes?

O STAND

7 - Manter pessoas de nível no stand: vendedor, técnico, diretor e presença feminina.

8 - O stand é um ponto de vendas sem equivalente.

9 - O stand não é território nem do comprador nem do vendedor: um território neutro.

10 - O comprador chega livremente, num ambiente que estimula seus cinco sentidos.

11 - Ele se encontra em um estado de espírito particular.

12 - Para tal estado de espírito, deve haver um ambiente comercial adequado.

13 - As etapas habituais de venda devem ser repensadas.

PREPARO FÍSICO

14 - Descansar bem à noite: um dia inteiro em pé é sempre muito cansativo

15 - Mantenha aparência discreta e bem cuidada. Roupa confortável.

16 - Use sempre o crachá. Os vendedores não identificáveis se confundem com os visitantes, ficando o stand com ar de abandono.

FAZER COM QUE O VISITANTE PARE

17 - Estudar o fluxo de visitantes

18 - Nunca se colocar na frente do ponto de atração do stand.

19 - Acolher com gentileza. Mostrar que está satisfeito em falar com o visitante.

20 - Manter uma atitude e uma postura que convidem o visitante a entrar no seu stand.

Isso é menos simples do que parece.

CERTAS ATITUDES DESENCORAJAM IMEDIATAMENTE O VISITANTE

21 - Não manter a postura de um guarda que lá se encontra para afastar os visitantes (braços cruzados, expressão triste).

22 - Não formar uma barreira, ou um grupo com outros vendedores. O visitante hesitará, sob a impressão de estar interrompendo uma conversação particular.

23 - Não se colocar bloqueando o acesso ao stand.

QUANDO O VISITANTE ENTRA NO STAND

24 -Não “atacá-lo” precipitadamente. É incomodo para o visitante ser abordado imediatamente, o que lhe dá a sensação de ser o primeiro do dia. Deixe-o orientar-se e encontrar o seu centro de interesse.

25 -Não “hesitar” contudo. Se o visitante sente que você procura o momento de o interpelar, você o obriga, na realidade, a solicitar sua intervenção.

26 -Não se aproximar pelas costas. Abordá-lo de frente.

27 -Não evitar o visitante, ou dar-lhe essa impressão. Seja aquele que inicia a conversa.

28 -Banir o clássico: “Posso lhe ser útil?”. Esta fórmula se traduz freqüentemente pela resposta negativa.

29 -Existem expressões mais insinuantes, que evitam o corte imediato da conversa. (Já conhece esse tipo de material? Utiliza este tipo de aparelho?)

30 - Evitar-se prolixo no início da conversa. Tentar fazer com que o visitante fale.

31 - Ao usar imediatamente vocabulário técnico, este pode aborrecer o visitante.

ASSIMILAR A IDENTIDADE DO VISITANTE

32 - Tentar descobrir, o mais breve possível: nome, endereço, status. Um visitante pode ser um comprador, um intermediário, um curioso ou um concorrente fazendo uma pesquisa.

33 - O essencial é registrar por escrito a identidade de todas as pessoas contatadas.

34 - Redigir claramente todas as informações.

35 - Evitar escrevê-las em pedaços de papel.

36 - Anotá-las em fichas apropriadas.

37 - Inscrever em ficha especial as entrevistas marcadas para conversações posteriores.

COLOCAR O VISITANTE EM CONTATO COM A PESSOA CERTA (diretor,técnico, etc.)

38 - Pode ser útil colocar o visitante em contato com o técnico ou especialista, ou com o responsável do stand.

39 - Apresenta-lo pelo seu nome, explicando seu campo de interesse.

40 - Se o especialista em questão não estiver livre para recebê-lo, distrair o visitante.

41 - Ofereça-lhe um refrigerante e mostre-lhe as publicações da empresa, seu relatório anual ou uma publicação.

42 - Evitar perda de tempo por parte dos dirigentes da empresa, apresentando-lhes visitantes sem interesse específico.

OS DIVERSOS TIPOS DE VISITANTES

43 - Os visitantes se dividem em três categorias: aqueles que se interessam, aqueles que não demonstram qualquer interesse e aqueles que hesitam. Esses últimos merecem um encorajamento.

44 - Classifique mentalmente, de imediato, seu visitante.

45 - Entre todos os visitantes há aqueles que merecem atenção limitada.

46 - O cliente conhecido, o velho amigo.

47 - O “curioso”

48 - O falante. Prever uma tática para desembaraçar-se deste. (um telefonema inadiável)

49 - O reclamador. O stand é o pior lugar para ouvir lamúrias dos clientes. Você saberá encaminhá-lo?

50 - O espião. Não é nada fácil expulsar o tipo. Vigilância. Anotar todos os nomes e endereços.

51 - O repórter e o fotógrafo de imprensa. Perguntar sempre o nome e o título da publicação.

E A EXPOSIÇÃO CONTINUA

52 - Nuncasubestimar a fadiga acumulada ao ficar em pé.

53 - Saia do stand para suas refeições.

54 - Sepossível, sair do “hall” para mudar de ares.

55 - Nunca, entretanto, deixar o stand sem avisar o responsável ou substituto.

56 - Durante toda a exposição evitar que o stand tome um ar de negligência. Expositores cansados e desinteressados, lendo ou fazendo “palavras cruzadas”, com copos usados espalhados cinzeiros cheios, objetos abandonados, fichas deidentificação expostas aos olhos de outros visitantes (ou concorrentes...)

A PROPÓSITO DO MATERIAL PROMOCIONAL

57 - Não apresentar os folhetos ou informativos em formas geométricas de tal forma que o visitante não ouse desarrumar tão bela ordem.

58 - Lembrar que as exposições atraem colecionadores de prospectos. Assegurar-se de que a documentação seja posta em boas mãos.

59 - Certos prospectos de qualidade superior, e portanto, de custo elevado, serão mais úteis se enviados diretamente aos interessados do que distribuídos livremente no stand.

E PARA CONCLUIR

60 - Cada minuto de conversação, cada resposta, cada gesto de hospitalidade deve produzir um dos seguintes resultados: um pedido assinado, uma entrevista após a exposição ou o endereço de um novo contato.

É IMPORTANTE GUARDAR EM MENTE QUEA FEIRA É SOMENTE O INÍCIO DE UMA ESTRATÉGIA COMERCIAL DURADOURA, CUJO OBJETIVOÉ TRANSFORMAR OS CONTATOS EM CONTATOS DE VENDAS.




ACONTEÇA EVENTOS - FEIRAS & FESTAS


Barueri - São Paulo - Brasil
fone/fax: +55 11 4193-6241
info@aconteca.com.br